GERAÇÃO MIMIMI

Autor: Arthur Monteiro Da Silva Cardoso

Desde o início dos anos 2000 e principalmente após 2010, o Brasil viveu uma época de transição, demos adeus à Geração Coca-Cola, o período em que o povo se importava mais com a política no país do que com esse “Fla x Flu” que virou o cenário político nacional, as pessoas não olham mais quem esta roubando, que não são poucos, mas tentam arranjar um único culpado por toda essa sujeira, e quando você pensa que não poderia piorar, eles ainda tratam política como futebol, vestem a camisa do seu político e vão às ruas DEFENDER essa pessoas e se você mostra que ele também está envolvido em roubos, te insultam e até te batem.

Resultado de imagem para MIMIMI

Foto: Blog Baú do Fael

Continue reading

Advertisements

Resultados: Vencedores do Grêmio Estudantil são eleitos pela segunda vez!

Autor: Fabiana Faria, Thamires Oliveira, Vitória Aparecida e Stefanie Santos

Nossa escola realizou as votações para a eleição do Grêmio no dia 04/04 e a apuração dos votos no dia seguinte.A divulgação da chapa vencedora foi no dia 06/04 e a posse desta começou a partir do dia 15/04.

A chapa atual “Inovare” cumpriu o seu trabalho no ano de 2016 e irá continuar ,  apresentando novas propostas. A chapa venceu com 228 votos.

É importante ressaltar que o Grêmio Estudantil tem papel importante na comunidade escolar, uma vez que pode desenvolver trabalhos em prol da coletividade.

gremio

Fonte: (página do Facebook – Grêmio Inovare)

Jogo da Vida

Autor: Beatriz Lopes

baleia

A “brincadeira” surgiu na Rússia, onde já morreram três meninas e em 08/04, desse ano um menino de Minas Gerais chegou ao último desafio.Blue Whale (Baleia Azul), nova brincadeira envolvendo os adolescentes,  anda circulando  pela internet através de mensagens recebidas de desafios,  semanalmente,  durante 50 dias, ou seja, 50 desafios como se arriscar do alto de um edifício, desenhar uma baleia no braço com faca ou gilete. Conhecido pela rede social com o nome de Jogos Suicidas, envolvendo moças e rapazes na faixa etária de 12 a 17 anos. Caso os participantes não cumpram devidamente certa missão, o curador-chefe ameaça seus familiares dizendo que conhece tudo sobre a vida deles. Basicamente,  quem entra não sai. Sendo a única saída o último desafio: cometer suicídio.

A questão é: quem criou o jogo? Ou qual o motivo de criar um jogo que tira a vida do próximo, que devidamente temos que ter compaixão? E o que leva a pessoa a entrar nele?

Segundo uma psicóloga americana,  quem participa são pessoas com problemas emocionais e já andam com a ideia de tirar a própria vida. O papel de quem convive com essas pessoas é ajudá-las, sendo bem diferente do jogo. Quem quer que seja,  o dono desse jogo tem muito mais problemas do que aqueles que participam dele. doentio.

Para ajudar os jovens, as escolas poderiam contribuir com palestras, conselhos relacionados ao assunto, e claro, os pais estarem mais atentos a  seus filhos,  caso aparentam estar mais tristes, com comportamento estranho e participar mais da vida pessoal deles,  para que esses jovens não corram o risco de seguir as instruções do jogo e acabarem cometendo suicídio.

 

 

Foi necessário?

Autor: Douglas Vlogging

Os Estados unidos conseguiram razão para bombardear um país como a Síria?

Atacar a Síria foi um ato totalmente unipolar. Um país como os Estados Unidos, primeiro mundo, “pode agir” de forma que ninguém interfira. Opinião própria eles tem, mas e a razão e a ética, eles têm?

Provavelmente,  eles não pensaram nas consequências e muito menos dialogaram sobre a situação da Síria, e já foram logo atacando. Situação semelhante a antiguidade.

Anteriormente,  a 1°guerra mundial, países da Europa como: França, Inglaterra, partilharam a o continente africano sem pensar nos aborígenes e povos que viviam naquelas regiões, e, dividiram culturas.

Preocupação. É a palavra chave para a situação do oriente médio. Países como Iraque, Síria e outros países médios orientais vivem em guerras, e por isso muitos outros países vizinhos sofrem preconceito de pessoas mal informadas, porque as pessoas não pensam individualmente, eles querem pensar num todo e criticar países que não estão envolvidos no assunto.

59 mísseis tomahawk foram lançados contra a Síria, mas por quê?

Os Estados unidos fizeram isso para responder ao ataque químico contra o próprio país a SÍRIA!

Mas eles atacaram um país para defendê-lo? Como funciona o pensamento estadunidense?

Mas uma vez os americanos comprovam que para eles é impossível dialogar.

Reverter esse quadro é possível?  É possível dialogar com os Estados Unidos?

Uma próxima 3° guerra mundial não está tão longe quanto pensamos,  a tensão dos países só aumenta e a cada dia mais pessoas morrem, e ninguém faz nada

VITIMIZAÇÃO DAS MULHERES

Embora,  muitos avanços tenham sido alcançados com a Lei Maria da Penha (Lei nº 11.340/2006), ainda assim, até hoje, a violência contra o gênero feminino é uma grave violação e causa diversos impactos que  variam entre consequências físicas, sexuais e mentais para mulheres e meninas, incluindo a morte. Ela afeta negativamente o bem-estar geral das mulheres e as impedem de participar plenamente na sociedade.

mulher kkk

Alguns dados revelam essa triste realidade:

  • São 4,8 assassinatos a cada 100 mil mulheres, número que coloca o Brasil no 5º lugar no ranking de países nesse tipo de crime.
  • Dos 4.762 assassinatos de mulheres registrados em 2013 no Brasil, 50,3% foram cometidos por familiares, sendo que em 33,2% destes casos, o crime foi praticado pelo parceiro ou ex.
  • Homicídio de mulheres negras aumenta 54% em 10 anos
  • o Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) analisou os registros de violência sexual e concluiu que 89% das vítimas são do sexo feminino e em geral têm baixa escolaridade.
  • Para 70% da população, a mulher sofre mais violência dentro de casa do que em espaços públicos no Brasil.
  • Em comparação a 2014, houve aumento de:
    44,74% no número de relatos de violência
    129% de violência sexual (média de 9,53/dia)
    151% de tráfico de pessoas (média de 29/mês)
  • 3 em cada 5 mulheres jovens já sofreram violência em relacionamentos.
  • 22% das brasileiras sofreram ofensa verbal no ano passado, um total de 12 milhões de mulheres.

Recentemente,  A TV Globo expulsou o cirurgião plástico Marcos Härter do Big Brother Brasil .O médico de 37 anos foi flagrado agredindo a estudante Emilly Araújo(vencedora do programa) , de 20 anos, com quem teve um relacionamento na casa.

 

A expulsão foi comunicada ao vivo pelo apresentador Tiago Leifert as três finalistas.

Ele explicou que a produção do programa ouviu especialistas, policiais e o público antes da decisão. A Polícia Civil do Rio de Janeiro abriu inquérito para apurar o caso e concluiu que houve violência.

Emilly ficou impactada com a decisão e demonstrou preocupação com sua família.

Gravações do programa mostram o gaúcho apertando e beliscando a jovem. O cirurgião também constrangiu Emilly em várias ocasiões, descritas como “tortura psicológica” pela diretora da Divisão de Política de Atendimento à Mulher do Rio de Janeiro, Marcia Noeli Barreto.

Esse  é um dos muitos casos de violência contra mulheres, entretanto nem todos são divulgados e consegue-se punir o agressor dando apoio a vítima,por isso é necessária a devida atenção não só a casos de pessoas presentes na mídia, mas na população em geral, que sofre cotidianamente (de acordo com os dados) com este problema.

Referências:

http://blogs.jornaldaparaiba.com.br/rubensnobrega/2017/03/08/datafolha-mais-de-16-milhoes-de-mulheres-brasileiras-foram-agredidas-em-2016/

Racismo ou negrismo?

Autor: Arthur Monteiro da Silva Cardoso

O racismo é um dos temas mais discutidos em quase todas as conversas sobre preconceito, porém muitas pessoas o relacionam somente à pessoa de pele negra, como vemos em vários comerciais ou em propagandas de conscientização, desprezando muitas vezes as pessoas brancas que também sofrem com isso.

racismo

“Racismo, é a teoria que defende a superioridade de um grupo sobre outros, baseada num conceito de raça, preconizando, particularmente, a separação destes dentro de um país (segregação racial) ou mesmo visando o extermínio de uma minoria” (Priberam dicionário), em momento algum vemos algum prevalecimento ou destaque à alguma raça/etnia, porém na sociedade de hoje, conhecida como ” geração mimimi” o racismo tem somente um significado, que é o de preconceito com a negro. Muitas pessoas se questionadas,  escreverão várias dissertações sobre a escravidão e a história do racismo no Brasil, mas um erro não justifica o outro, existe sim racismo contra o negro, é sim a maioria, porém tudo isso não dá direito do negro praticar racismo com o branco, que quando sofre, sente as mesmas dores de um negro e às vezes pode ser até pior, pois eles não têm amparo. O  racismo contra o branco é motivo de chacota se a pessoa denuncia, pois as pessoas têm o mesmo discurso “você não sofreu o que meus antepassados sofreram”.

“Branquela!”, “palmito!”, “leite!”, “lagartixa!”, são exemplos do racismo que pessoas com a pele muito clara sofrem no seu dia a dia, muitas vezes mudas em meio à sociedade, pois o racismo contra o branco é encarado como frescura e falta de vergonha na cara. Muitos negros não veem o racismo contra o branco, pois se sentem inferiorizados, mesmo que os insultem , pois  é mais um mal dessa geração vitimista, que de tudo sofre, mesmo com o que não acontece.

O racismo contra os negros existe, é a maior parte das pessoas que sofrem de racismo, porém não podemos esquecer das outras raças como o japonês, índio, branco, albino, etc. Eles sofrem, choram e na maioria das vezes não tem com que se defender. Respeito, é o que todos nós merecemos, independente da raça, ninguém é liberado para praticar preconceito com o outro. Conscientize-se.