Resultados: Vencedores do Grêmio Estudantil são eleitos pela segunda vez!

Autor: Fabiana Faria, Thamires Oliveira, Vitória Aparecida e Stefanie Santos

Nossa escola realizou as votações para a eleição do Grêmio no dia 04/04 e a apuração dos votos no dia seguinte.A divulgação da chapa vencedora foi no dia 06/04 e a posse desta começou a partir do dia 15/04.

A chapa atual “Inovare” cumpriu o seu trabalho no ano de 2016 e irá continuar ,  apresentando novas propostas. A chapa venceu com 228 votos.

É importante ressaltar que o Grêmio Estudantil tem papel importante na comunidade escolar, uma vez que pode desenvolver trabalhos em prol da coletividade.

gremio

Fonte: (página do Facebook – Grêmio Inovare)

Advertisements

Jogo da Vida

Autor: Beatriz Lopes

baleia

A “brincadeira” surgiu na Rússia, onde já morreram três meninas e em 08/04, desse ano um menino de Minas Gerais chegou ao último desafio.Blue Whale (Baleia Azul), nova brincadeira envolvendo os adolescentes,  anda circulando  pela internet através de mensagens recebidas de desafios,  semanalmente,  durante 50 dias, ou seja, 50 desafios como se arriscar do alto de um edifício, desenhar uma baleia no braço com faca ou gilete. Conhecido pela rede social com o nome de Jogos Suicidas, envolvendo moças e rapazes na faixa etária de 12 a 17 anos. Caso os participantes não cumpram devidamente certa missão, o curador-chefe ameaça seus familiares dizendo que conhece tudo sobre a vida deles. Basicamente,  quem entra não sai. Sendo a única saída o último desafio: cometer suicídio.

A questão é: quem criou o jogo? Ou qual o motivo de criar um jogo que tira a vida do próximo, que devidamente temos que ter compaixão? E o que leva a pessoa a entrar nele?

Segundo uma psicóloga americana,  quem participa são pessoas com problemas emocionais e já andam com a ideia de tirar a própria vida. O papel de quem convive com essas pessoas é ajudá-las, sendo bem diferente do jogo. Quem quer que seja,  o dono desse jogo tem muito mais problemas do que aqueles que participam dele. doentio.

Para ajudar os jovens, as escolas poderiam contribuir com palestras, conselhos relacionados ao assunto, e claro, os pais estarem mais atentos a  seus filhos,  caso aparentam estar mais tristes, com comportamento estranho e participar mais da vida pessoal deles,  para que esses jovens não corram o risco de seguir as instruções do jogo e acabarem cometendo suicídio.

 

 

Alunos da Escola Ilza Irma visitam a CEMADEN

Arthur Monteiro da Silva Cardoso – 28/03/2017 – 15:56

No dia 21 de março, os alunos da eletiva “Meteorologia na escola” visitaram o Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden), do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, junto dos seus professores responsáveis Dimas Faria e Rosa Sousa. Acompanhados pela equipe do Projeto Cemaden Educação e de professores da Unesp, visitaram a Sala de Situação recebendo  explicações sobre o funcionamento da rede observacional para o monitoramento, emissão de alertas e sobre  desastres naturais.

A apresentação na sala foi de Enos Nobuo Sato,  da área de geodinâmica  de desastres naturais e pelo meteorologista Diego Oliveira de Souza, da área de extremos meteorológicos.

17761691_1251736221614094_621050899_o

Foto: Arthur Monteiro

“Meteorologia na escola” é um projeto de extensão da Unesp, parceira do projeto científico desenvolvido na escola estadual – dentro da disciplina optativa denominada “Estação Meteorológica”. Os estudantes estudam os fenômenos que acontecem na atmosfera terrestre que são estudados na Meteorologia, são aplicados vários conceitos dentro da área de exatas. Estão programadas diversas atividades a serem desenvolvidas, entre elas, a realização de  oficinas para a construção de uma estação meteorológica digital.

Além da estação meteorológica, há o estudo de vários fenômenos extremos e seus impactos na sociedade, mas também são estudados métodos de prevenção, como estudar alguns fenômenos que antecedem desastres. A intenção é alertar e compartilhar informações sobre esses desastres para a sociedade, assim diminuindo o risco de desastres naturais acabarem em mortes.

Em um breve momento da visita, houve a apresentação da Unesp, com seus laboratórios de química, física e biologia, e a estação meteorológica da Unesp, no Parque Tecnológico de São José dos Campos. Algumas palestras regidas por professores da universidade foram assistidas.

O projeto de extensão “Meteorologia na Escola”, da Unesp, é  coordenado pelos professores Luana A. Pampuch, Antônio Carlos Saraiva e Adriano Gonçalves Reis, da Faculdade de Engenharia Ambiental da Unesp, localizada no Parque Tecnológico de São José dos Campos. A disciplina “Estação Meteorológica”, desenvolvida na escola estadual,  é ministrada pela professora Rosa Maria de Sousa Santos, da área de Geografia e pelo professor Dimas João, da área de Física.

Apoio:

Cemaden educação

Unesp

Fontes:

http://www.cemaden.gov.br/cemaden-recebe-visita-de-alunos-integrantes-de-projeto-de-extensao-cientifica/